Mascate de palavras [fragmentos aleatórios – VI]

***

Santo Amaro sempre me pareceu uma espécie de zoológico, daqueles em que os animais vivem soltos. O amontoado de camelôs e barracas das mais diversas espécies e gêneros nada devia à mata atlântica, pelo contrário, tinha a vantagem de se expandir enquanto a outra se extinguia. Houve uma época em que me simpatizava com o jeito “simples e rústico” desse modo de civilização, como diriam alguns velhos conhecidos. O problema é que cada vez mais me convenço de que não devemos gostar da pobreza, pois seria este o primeiro passo para nos acomodarmos com ela. Note que mesmo os termos não são tão ingênuos quanto parecem: simples se confunde com simplista e mal-feito, ou seja, torna-se uma gambiarra quando deveria ser uma solução prática e lógica para as questões mais complexas. É sutil? Tanto quanto a diferença entre desembaraçar o fio e usá-lo cheio de nós. Além disso, a questão do rústico soa como uma desculpa preconceituosa à falta de higiene e organização. A complacência com a desigualdade e outras formas de injustiça muitas vezes se disfarça em benevolência; a virtude nomeia o vício.

Virtus vitium nominat? Ficou bem em Latim – devolveu-me Renato.

– Falo sério.

– Gosto de aforismos. Os bons sintetizam o raciocínio de modo ímpar. Encomendarei uma placa com essa frase.

– Creio que o amigo não me deu plenos ouvidos.

– Ora, meu chapa. Sejamos coerentes. Desenvolva o subsolo e desvalorize a cobertura. A desigualdade gera lucros não só para mim como também para você. Enquanto esses cabras transpiram saúde por nossos trocados, você mal suspira meio período no banco e está livre. Suponha uma revolução social, educação, saúde e oportunidades para todos, onde estaríamos nós? Longe de mim gozar da miséria alheia, mas não poderei nunca negar que me beneficio dela.

– Renato, não está sendo muito cruel?

– O alheamento é minha forma de sobrevivência. E isso também ficaria bonito em Latim. Alienatio… preciso consultar meus dicionários.

Endossei seu argumento. O sol estava forte; eu, indisposto. Censure-me, se for o caso, mas não se luta contra Apolo desperto.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s