Dos jardins

Não citarei o Cândido, de Voltaire, nem o Chance, the Gardener, de Peter Sellers. Ainda hoje, voltarei a tocar no assunto, mas por hora me limitarei ao literal:

 

***

***

Anúncios

Um pensamento sobre “Dos jardins

  1. Engraçado como a obervação de algumas flores murchas não me deixou triste ou desapontada com a vida, mas, ao contrário, me fez sentir a vida como algo cíclico e poético.
    Obrigada pelas fotos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s